Pepe Le Pew (1949)

Pepe Le Pew e Penelope Pussycat - Copyright Warner Bros.

Um charmoso gambá francês que vive em busca do amor. Esse é Pepe Le Pew, romântico, galanteador e… poxa vida… fedorento. Sua vítima… quer dizer, sua musa, na maioria das vezes era a gatinha Penelope Pussycat (nome que só foi dado com a série em andamento). De uma forma ou de outra, Penelope sempre, por acidente, aparecia com uma faixa branca pintada nas costas. Seja por passar debaixo de uma cerca com tinta fresca ou esbarrar em outro objeto que transferisse a cor para ela. Os galanteios e juras de amor de Pepe nunca eram suficientes para manter a gatinha por perto, já que o cheiro falava bem mais alto. E vamos combinar que a conversinha do Pepe também não era nada agradável para Penelope. Extremamente egoísta e narcisista, o gambá se achava a última bolacha do pacote ─ frase cliché para puxar a próxima observação… ─ Com o velho cliché “ele anda devagar e calmo, ela corre desesperada, ele a encontra assim mesmo”, as histórias se passavam ora em ambientes muito românticos, como a cidade de Paris (daquela época, claro) ou em paisagens pitorescas como o deserto do Saara.

 

A VINGANÇA QUE GANHOU UM OSCAR

Em O mau cheiro do amor (For scent-imental reasons, 1949, dirigido por Chuck Jones), há uma divertida inversão de papéis. Pepe, como sempre, encurrala Penelope, que se tranca em um armário. Com sua recusa em sair, o gambá, num ato dramático, simula o suicídio para chamar a atenção da gatinha. E dá certo… ou quase, pois apesar de ela correr para os braços de Pepe, ele cai em uma lata de tinta azul. Ela, por sua vez, vai tentar se limpar da tinta branca (que mais uma vez a fez cair nessa confusão). Quando Pepe se levanta, todo pintado de azul, vê a gata toda molhada e desgrenhada. Ele não a reconhece e tenta se afastar. Por sua vez, Penelope acha que ele é um gato e se apaixona, e começa a perseguição às avessas. Esse curta ganhou o Oscar de Melhor Curta de Animação, o primeiro desenho animado da Warner a ganhar essa premiação.

Houve uma outra ocasião em que Pepe se deu mal. Ele toma um banho de perfume em Little beau Pepe, e a mistura do seu cheiro com as fragrâncias dos perfumes acabam produzindo um efeito hipnotizador em Penelope, praticamente uma poção do amor. Pepe fica sufocado com tantos abraços e beijos e se revela assustado com “mulheres excessivamente afetuosas”.

 

PRODUÇÃO

Embora tenha sido criado na década de 30 por Chuck Jones, a primeira aparição do gambá foi no curta Odor-able Kitty, de 1945. Seu nome era outro: Henry, e era um gambá americano que fingia ser francês. Algumas fontes citam que Chuck Jones, criador de Pepe, certa vez teria contado que o gambá fora levemente inspirado em seu colega de Warner (na verdade, da divisão Termite Terrace), o escritor Tedd Pierce, que sempre achava que paixões eram recíprocas. No entanto, no curta-metragem Chuck Jones: memórias de infância, Jones diz que Pepe era baseado em si mesmo, mas que ele era muito tímido com garotas, bem o contrário de Pepe.

A animação era feita por Ben Washam, Lloyd Vaughan, Ken Harris e Phil Monroe. Com cenários de Peter Alvarado. Direção musical de Carl Stalling. Mel Blanc fazia praticamente todas as vozes dos personagens, e permaneceu na dublagem entre 1945 e 1989.

Curiosamente, na versão francesa, Pepe Le Pew foi dublado com um forte sotaque italiano.

Algumas fontes citam, sem confirmação, que ele teria aparecido pela segunda vez em um desenho chamado Fair and worm-er (Chuck Jones, 1946). O gambá que aparece no final não fala, mas é muito parecido com Pepe, tendo inclusive o mesmo modo de dar pulinhos enquanto anda.

Pepe apareceria ainda em dezenas de outros desenhos e, agora reformulado, continua na ativa em novos desenhos…

O personagem aparece também em jogos de videogame.

Pepe Le Pew e Penelope Pussycat – Copyright Warner Bros.

NÃO PERDOOU NEM O FRAJOLA!

Pepe apareceu no episódio Dog pounded (1954, direção de Friz Freleng), de Piu-Piu. Para escapar de uns cães e continuar sua perseguição ao passarinho cabeçudo, Frajola pinta uma faixa branca nas costas. E quem aparece e o confunde com uma gambazinha? Claro… ele mesmo, Pepe! Nos anos de 1990, Pepe fez várias aparições na série Tiny Toon Adventures como professor da Acme Looniversity. Ele apareceu em The Looney beginning e também em It’s a wonderful Tiny Toon adventures Christmas special.

Pepe Le Pew e Frajola em Dog Pounded (1954) – Copyright Warner Bros.

DUBLAGEM BRASILEIRA

Feita pela Cinecastro com Ary de Toledo e Milton Luís, entre 1960 e 1980. Waldyr Sant’anna, de 1980 a 2000; e desde então com Guilherme Briggs.

 

PENELOPE FALA!

Penelope não falava nos desenhos da série, mas houve um curta especial que parodiava o filme Casablanca, chamado Carrotblanca de 1995, dirigido por Douglas McCarthy, em que Penelope fazia o papel de “Kitty Ketty” (inspirada na personagem Ilsa, de Ingrid Bergman).

 

LONGA-METRAGEM

Houve um anúncio em 2010, que Mike Myers dublaria Pepe Le Pew em um longa baseado no personagem, mas nada surgiu a respeito posteriormente. Já em 2016, durante a San Diego Comic-Com, foi dito que Max Landis estaria escrevendo um filme Pepe Le Pew para a Warner Bros. Com muito medo, estamos aguardando.


QUER AJUDAR O CANAL CHUVISCO?

Comprando qualquer produto com esse link, você está ajudando o CANAL CHUVISCO a se manter. Com as comissões recebidas, podemos dedicar mais tempo para as pesquisas e postagens. É só clicar, fazer sua busca pelo produto que deseja e realizar sua compra normalmente.


Compartilhe o artigo com seus amigos!
Compartilhe o artigo com seus amigos!