Nick Carter, o primeiro seriado do cinema

Série ou Seriado?

Chame como quiser: seriado, série ou filme em capítulos. De qualquer forma, Nick Carter: le roi des detectives foi a primeira produção no cinema a utilizar um mesmo personagem em várias películas. Neste caso, as histórias dos seis episódios eram independentes (e por isso vou preferir tratá-lo aqui como seriado), exibidas a cada duas semanas. Sua estreia foi no dia 8 de setembro de 1908, na França.

O seriado é baseado no personagem Nick Carter, criado por Ormond G. Smith, filho de um dos fundadores da Street & Smith Publications, editora responsável pela New York Weekly, uma espécie de revista literária que circulou entre os anos de 1846 e 1915, que foi onde apareceu pela primeira vez o personagem [1]. Em 1903 ele ganhou sua primeira publicação solo, Nick Carter Weekly, pela mesma editora. Apesar da criação ser de Ormond G. Smith, as aventuras do detetive ao longo dos anos foram escritas por vários autores, que utilizavam os pseudônimos de Nicolas Carter e Sargento Ryan, sendo alguns deles: John R. Coryell (o primeiro a escrever suas histórias), Frederick Van Rensselaer Dey, Thomas C. Harbaugh, George C. Jenks, Eugene T. Sawyer, Charles Westerbrook e Richard Edward Wormser.

Nick Carter Vol. 9 (Ediouro, 1984)

No livro Nick Carter: o maior detetive da América – volume 9: A prisão no fundo do lago e Atentado a dinamite (Editora Ediouro, 1984), o prefaciador, Assis Brasil, descreve o detetive da seguinte forma:

“Nick Carter se inscreve na galeria dos grandes personagens do romance policial. Ele, norte-americano de nascimento, é tão famoso quando o inglês Sherlock Holmes. Há mesmo quem diga que Nick Carter foi criado como uma resposta do Novo Mundo ao detetive imaginado por Conan Doyle. Embora ambos tenham a mesma grande capacidade dedutiva, qualidade indispensável para desvendar um crime, Nick Carter leva uma vantagem sobre Sherlock Holmes: possui uma força descomunal e muita habilidade para se defender em lutas de qualquer tipo. Outra qualidade marcante de Nick Carter é o disfarce, um dos detalhes que mais apaixonam em suas aventuras (…) Era o mestre do disfarce…”

Ou seja, era um personagem perfeito para o cinema. Tanto foi assim, que o personagem ganharia dezenas de produções nas telonas, sem falar do rádio e dos quadrinhos. Logo de início, o seriado ganhou duas continuações: Nouveaux aventures de Nick Carter in 1909, and Zigomar contre Nick Carter in 1912, ambas com produção e direção de Victorin-Hippolyte Jasset, também responsável por Nick Carter: le roi des detectives.

Pierre Bressol

Em Nick Carter: le roi des detectives, o detetive foi interpretado por Pierre Bressol (1874-1925), que posteriormente viveria mais um detetive famoso, Nat Pinkerton, em outra série de produções para o cinema. O ator nasceu em 12 de janeiro de 1874 em Marselha, Bouches-du-Rhone, França como Pierre Dubois. Faleceu em 9 de abril de 1925 em Paris. Trabalhou em 67 produções como ator, até 1924; dirigiu 49 filmes e escreveu cinco.


Cartaz de Nick Carter: le roi des detectives (1908)

Ficha técnica 

Nick Carter: le roi des detectives (1908, França)
No Brasil: Nick Carter: o rei dos agentes de polícia.
Produtora:  Société Française des Films Éclair.
Primeira exibição: 8 de setembro de 1908 (França). 3 de novembro de 1908 (Brasil).
Cor e som: Preto e branco; mudo (intertítulos em francês).
Nº de episódios: 6 (todos com direção de Victorin-Hippolyte Jasset e roteiro de Georges Hatot, sendo que o roteiro do primeiro episódio também teve a colaboração de Jasset).
Ator principal: Pierre Bressol (Nick Carter). 


Episódios de "Nick Carter: le roi des detectives"

Clique sobre os títulos para ver as informações do episódio no IMDb.
Ep.TítuloExibição
01Le guet-apens08/09/1908
02L'affaire des bijoux 22/09/1908
03Les faux monnayeurs06/10/1908
04Les dévaliseurs de banque20/10/1908
05Les empreintes27/10/1908
06Les bandits en noir15/11/1908

* Este texto foi originalmente escrito para o livro “Maratonando com nossos bisavós”, de Marcelo Amado, a ser lançado em 2020 pela Editora Estronho.



QUER AJUDAR O CANAL CHUVISCO?

Comprando qualquer produto com esse link, você está ajudando o CANAL CHUVISCO a se manter. Com as comissões recebidas, podemos dedicar mais tempo para as pesquisas e postagens. É só clicar, fazer sua busca pelo produto que deseja e realizar sua compra normalmente.


Compartilhe o artigo com seus amigos!
Notas
  1. algumas fontes indicam o período entre 1858 e 1910, no entanto, a publicação teria começado em 1846 com o nome de New York Dispatch, mudando em 1855 para New York Weekly Dispatch. Em 1858, Amor J. Williamson vendeu os direitos para Francis Shubael Smith e mudaram o nome para New York Weekly. De 1910 a 1915 foi publicada com o nome de New York Weekly Welcome[]
Compartilhe o artigo com seus amigos!