The Banana Splits (1968-1970)

The Banana Splits (1968-1970) - Copyright Hanna-Barbera

Fleegle, Bingo, Drooper e Snorky… ou os Banana Splits. Uma banda de rock (fictícia) que apresentava um programa produzido pela Hanna-Barbera, que foi ao ar originalmente entre setembro de 1968 a setembro de 1970.  Banana Splits adventure hour (ou The Banana Splits) teve 31 episódios que exibiam desenhos animados, esquetes de humor e, claro, músicas. Vagamente, o quarteto de bonecos lembrava a banda The Monkees (embora Bingo possa ter sido uma brincadeira com Ringo, dos Beatles).

Em 1967, William Hanna e Joseph Barbera procuraram os irmãos Sid e Marty Krofft para que desenvolvessem os figurinos do quarteto que comandaria o novo show. O formato do programa era levemente baseado em Laugh-In de Rowan & Martin. Inicialmente o nome do programa se chamaria Banana Bunch, mas já havia um livro infantil com o mesmo nome e o autor não achou legal a ideia de ter o título associado ao programa.

O sucesso do quarteto foi bom até mesmo para os irmãos Krofft, que em 1969 lançaram a própria série, HR Pufnstuf, pegando carona com os Bananas. A NBC, inclusive, utilizou uma hora do Banana Split para lançar a nova série.

Não dá para esquecer também dos Banana Buggies, os carrinhos que cada personagem utilizava, tanto na abertura do programa quanto em algumas aventuras e esquetes. Em 1969, a Aurora Plastics Corporation lançou uma linha em escala 1/25 dos quatro veículos da turma.

 

PERSONAGENS

Fleegle, na guitarra e vocais, era um cachorro ─ beagle ─ que usava uma enorme gravata borboleta vermelha, e ficava sempre com a língua de fora. O ator por baixo da roupa era Jeff Winkless e o dublador era Paul Winchell.

Drooper, baixo e vocais, era um leão (um pouco desnutrido, diga-se de passagem) que usava óculos alaranjados. Por baixo da fantasia estava Dan Winkless, enquanto seu dublador era Allan Melvin.

Bingo, bateria e vocais, era um macaco laranja usando óculos brancos, um colete amarelo e sempre com um sorriso largo (eu juro que sempre achei que ele era um gato e não um macaco). Interpretado por Terence H. Winkless e dublado por Daws Butler.

Snorky, tecladista, era um elefante mudo que usava óculos cor de rosa e um colete verde com listras amarelas. Ele se comunicava com os outros através de uma buzina, e sempre um dos outros personagens traduzia o que ele estava falando. Por baixo da roupa passaram dois atores: James Dove e Robert Towers.

Outros personagens secundários também participavam do show: Banana Vac (uma cabeça de alce, azul, que tinha lâmpadas na cabeça); o Relógio Cuco, que sempre dava uma resposta engraçada quando lhe perguntavam as horas; Goofy Gopher e The Sour Grapes Bunch, um grupo de personagens femininas, cujos nomes eram os mesmos: Charley.

Banana Vac – Copyright Hanna-Barbera Productions

 

MAIS BANANICES

Dentre as animações exibidas estavam os Cavaleiros da Arábia, Os Três Mosqueteiros e O esquilo sem grilo (eu me divertia mais com as performances do quarteto, mas enfim…).

The Banana Splits foi um dos primeiros programas infantis a utilizar gravações de risadas enquanto o quarteto fazia suas piadinhas e trocadilhos.

Em 1972, William Hanna e Joseph Barbera dirigiram uma versão animada─ The Banana Splits in Hocus Pocus Park ─ de 1 hora de duração, onde o grupo tenta ajudar uma garota a escapar das garras de uma bruxa.

The Banana Splits in Hocus Pocus Park – Copyright Hanna-Barbera Productions

 

MÚSICA

A música-tema do programa, intitulada The Tra La La Song (One Banana, Two Banana), embora tenha sido creditada para Ritchie Adams e Mark Barkan, foi escrita por NB Winkless Jr. A música foi lançada em um single, alcançando o número 96 no Top 100 da Billboard em fevereiro de 1969. Posteriormente, várias bandas, principalmente de punk rock, fizeram versões em homenagem ao programa.

 

DUBLAGEM NO BRASIL

Ficou a cargo do estúdio TV Cinesom, com as vozes de: Antonio Patiño (Fleegle); Cauê Filho (Bingo);  Antonio Patiño (Snorky) e Magalhães Graça (Drooper).

 

QUADRINHOS

Gold Key começou a publicar uma versão em quadrinhos em 1969, lançando oito edições até 1971. Desenhadas por Jack Manning, as histórias acompanhavam os músicos tentando encontrar trabalho. No Brasil foi lançado o Almanaque Os Banana Splits, pela editora Cruzeiro, em fevereiro de 1972. Em 2017, na edição especial DC Meets Hanna-Barbera, os bananas também estavam representados.

 

NOVA VERSÃO EM 2008

Em agosto de 2008, a Warner Bros. anunciou um lançamento em várias plataformas com novos curtas de comédia e videoclipes, com estreia no Cartoon Network. O projeto incluiu show, website, CD e um DVD com 13 novas músicas, lançadas pela Universal Records.

The Banana Splits (2008) – Hanna-Barbera Productions

BANANA SPLIT HORROR?

Uma versão para o cinema, The Banana Splits Movie (direção de Danishka Esterhazy), foi lançada em DVD em agosto de 2019, e teve transmissão pelo canal Syfy em outubro.  Um garoto chamado Harley, muito fã do quarteto, ganha de presente de aniversário uma ida aos estúdios onde eram gravados os programas. Era para ser um aniversário inesquecível, mas as coisas saem de controle e os Bananas se revelam terríveis assassinos macabros… olha, é melhor nem comentar muito a respeito…

Tirem suas próprias conclusões:

E como se não bastasse essa porcaria… está em produção um remake, com previsão de lançamento para 2020, com direção de Bonnie Guy.


Fontes: InfanTv (http://www.infantv.com.br/); IMDb (https://www.imdb.com/); Guia dos Quadrinhos (http://www.guiadosquadrinhos.com/).


QUER AJUDAR O CANAL CHUVISCO?

Comprando qualquer produto com esse link, você está ajudando o CANAL CHUVISCO a se manter. Com as comissões recebidas, podemos dedicar mais tempo para as pesquisas e postagens. É só clicar, fazer sua busca pelo produto que deseja e realizar sua compra normalmente.


Compartilhe o artigo com seus amigos!
Compartilhe o artigo com seus amigos!